rompimento ligamento cruzado anterior

Esportes de neve e o rompimento do ligamento cruzado anterior

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Enquanto é verão no Brasil, o inverno na América do Norte e na Europa convida muitos atletas de primeira viagem a um dos esportes mais visualmente bonitos que conhecemos: o esqui. De fato, a prática do snowboard e do esqui tem crescido muito; entretanto, são poucos os que se informam sobre a preparação para esses esportes, que exigem um grande esforço físico do praticante. E, diante da iniciativa um tanto quanto aventureira, aumentam os traumas no joelho.

Escolhi esse tema porque muitos pacientes têm me procurado com essa condição depois de se aventurar nas férias pelos destinos com neve. Com certeza, aqueles que praticam o esporte já ouviram algo como “Tal pessoa ‘destruiu’ o joelho esquiando” – o que pode ocorrer também em outros esportes, como o futebol.

Mesmo consideradas atividades seguras, a falta de preparo para elas pode gerar lesões consideráveis. Uma das mais comuns afeta o membro inferior: é a lesão do ligamento cruzado anterior. Esse ligamento é, resumidamente, uma tira resistente de tecido fibroso que liga o fêmur à tíbia.

As causas para o rompimento do ligamento cruzado anterior são diversas: equipamento mal ajustado (o que gera uma má postura ao esquiar), condição física inadequada para o esporte, más condições da neve ou até mesmo a falta de experiência e conhecimento, o que pode causar insegurança e, consequentemente, acidentes mais sérios envolvendo quedas ou colisões.

Subestimado, o cansaço é outro fator importante: na empolgação de praticar e aprender mais sobre o esporte, o indivíduo acaba não parando para descansar e se hidratar, e a sua própria fadiga pode ocasionar um acidente. Ainda, há pessoas que subentendem que sabem mais sobre o esporte do que realmente sabem, e confiam que conseguirão cumprir manobras que estão acima do seu nível de conhecimento e habilidade. Não se engane! Assuma seu nível de conhecimento para aproveitar o passeio de forma saudável e responsável.

E, finalmente: não ignore os anúncios em montanhas e pistas. Se está mais perigoso hoje do que ontem, acredite nas sinalizações e respeite os espaços e a natureza. Acreditar que “isso é besteira” gera mais acidentes do que você imagina!

 

Hiperextensão ou rotação excessiva

A má postura é considerada uma das principais causas da lesão; quando o esportista deixa os joelhos para dentro com maior carga no compartimento interno, achando que pode controlar melhor a velocidade, pode deixar o LCA mais exposto à torção.

Esse ligamento é um dos mais importantes pela estabilidade do joelho, ou seja, impede que ele rode sobre ele mesmo e também que vergue para dentro. A lesão pode ocorrer quando há uma queda com o corpo para trás e uma hiperextensão do joelho, ou uma rotação excessiva dele com o pé fixo no chão.

Entre os sintomas mais comuns estão dor, inchaço e mobilidade reduzida no local afetado. Pode ser que a dor não seja tão grande e, para aproveitar melhor o momento de diversão, a prática do esporte não seja interrompida. Porém, isso pode custar mais caro no restante da viagem, pois podem ocorrer lesões mais graves no caso de nova entorse. Em alguns casos, o joelho se apresenta com limitação de movimento e não consegue ser estendido ou flexionado.

 

Médico pode identificar a gravidaderompimento ligamento cruzado anterior

Em casos mais simples, gelo, anti-inflamatórios e repouso podem ser suficientes; entretanto, somente um médico pode dizer qual é a gravidade do problema.

Portanto, é prudente uma avaliação médica especializada imediatamente após a lesão. É necessário que o especialista (ortopedista) saiba exatamente quando a lesão ocorreu e o que você estava fazendo naquele momento.

 

Cuidados e prevenção

O principal sintoma neste tipo de lesão é a instabilidade (falseio) no joelho. Isso pode ocorrer também em movimentos do dia a dia, como subir ou descer escadas ou caminhar com pressa.

São sinais de alerta de lesão um alto estalo no joelho, dor intensa e aguda, edema e a sensação de instabilidade.

Como sempre recomendamos, a prevenção é a melhor opção: o condicionamento físico e o fortalecimento da musculatura são fundamentais! No caso do esqui e do snowboard, treiná-los com um professor primeiro pode ajudar a reconhecer os seus limites e a aprender a respeitá-los.

Estando na pista, siga as regras: lembre-se de que quem segue à sua frente tem direito de passar e, se precisar parar, faça-o em um local seguro, e não no meio do caminho. Ainda que pareça óbvio, este conselho pode evitar muitos acidentes entre os praticantes.

Novamente, a prevenção inclui usar os equipamentos indicados de segurança e não ignorar avisos e sinais de perigo ou de via fechada. O respeito pode fazer suas férias renderem muito mais!

 

Dr. Luiz Felipe Ambra (CRM 133852), ortopedista, traumatologista e especialista em cirurgia do joelho.

Sem comentários

Postar um comentário

WhatsApp chat