Por que parar de fumar?

tabagismo doenças cardiovasculares

Por que parar de fumar?

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Tabagismo é, sim, um problema sério e está diretamente ligado à incidência de doenças cardiovasculares (DCV) – entre elas, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e doença arterial periférica.

Dados da Organização Mundial de Saúde estimam que 1,3 bilhão de pessoas fuma no mundo e que essa incidência é preponderante nos países em desenvolvimento, como o Brasil. Dados de 2013 no País demonstram que 14,7% da população brasileira é tabagista (18,9% entre homens e 11% entre mulheres).

Precisamos levar em conta que as doenças cardiovasculares são uma das principais causas de óbito no Brasil, e que o tabagismo é o principal fator de risco independente para o surgimento das doenças cardiovasculares, principalmente as diretamente ligadas à aterosclerose, com o infarto agudo do miocárdio. 

Dados internacionais apontam que a incidência desse tipo de infarto aumenta 6 vezes nas mulheres e 3 vezes no homens tabagistas. Um estudo mundial chamado INTERHEART, envolvendo 54 países no mundo, evidenciou que o tabagismo aumenta em 36% o risco de ocorrer o primeiro infarto.

tabagismo doenças cardiovascularesFumante passivo também corre riscos

Chamamos de fumante passivo aquela pessoa que não fuma, mas convive com quem o faz, ficando exposta aos componentes tóxicos e cancerígenos presentes na fumaça expelida pelo cigarro do próximo. 

Infelizmente, mesmo que o teor de substâncias nocivas inalado seja menor do que as que ficam alojadas nos pulmões do ativo, já existe o risco de que o passivo tenha os mesmos problemas, pois apenas a concentração é mais baixa, mas as substâncias são as mesmas – algo parecido com quem fuma “de vez em quando”. 

Por isso, é recomendado que fumantes passivos também passem por acompanhamento médico, fazendo check ups através de exames que possam detectar problemas de coração e outros problemas causados pelo cigarro.

Vamos parar de fumar?

A tarefa não é fácil, mas vou listar aqui algumas dicas que podem te ajudar:

  • Tente encontrar um método: uma data para parar, parada gradual, etc;
  • Procure um profissional: em alguns casos um terapeuta pode ajudar, pois o cigarro pode ser uma espécie de apoio emocional;
  • Seja paciente: seu corpo irá reagir de diversas formas e seu cérebro tentará te boicotar – é preciso calma para lidar com os momentos difíceis;
  • Distraia-se: quando perceber que a vontade está em seu ápice, tente se concentrar em outra atividade;
  • Seja persistente: é preciso ter força de vontade, pois além de físico, o vício é também psicológico;
  • Evite gatilhos: café, amigos bebendo, certos lugares, ficar sem fazer nada;
  • Procure apoio: é fundamental ouvir incentivo;
  • Aprenda a relaxar: o relaxamento ajuda muito;
  • Pratique exercícios físicos: hábitos mais saudáveis vão ajudá-lo em diversos aspectos, mas lembre-se de ter acompanhamento para não causar problemas ao corpo desacostumado.

Nada melhor do que aproveitar o Dia Nacional de Combate ao Tabagismo, em 29 de agosto, para refletirmos quantos eventos cardiovasculares podem ser evitados com o combate ao tabagismo.  Ainda, que a luta contra o tabagismo tem que ser lembrada diariamente, e que temos que assumir que todo dia é dia de combate ao tabagismo.

E, você, meu amigo tabagista: nunca é tarde para iniciar um programa de combate ao tabagismo! Sim, todos nós sabemos que essa é uma luta dura e árdua, mas que pode ser vencida.

Dr. Bruno Palmieri (CRM 125471), cardiologista do Centro Alliance de Medicina

Sem comentários

Postar um comentário

WhatsApp chat