Gravidez e manchas na pele: entenda a ligação entre elas

gravidez manchas

Gravidez e manchas na pele: entenda a ligação entre elas

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

É bem sabido que manchas podem surgir na pele durante a gravidez. E para as mulheres que já as possuem, o quadro pode piorar. 

Mas por que ocorre esse processo? E será que ele pode ser contido ou revertido?  

Muitas alterações ocorrem durante o periodo gestacional, tanto cardiovasculares, metabólicas, imunológicas e também endocrinológicas, levando a alterações características a esse período peculiar.

Quando falamos das mudanças fisiológicas, as alterações de pigmentação ocorrem em cerca de 90% das mulheres grávidas. O maior estímulo hormonal aos melanócitos (células que produzem os pigmentos da pele – melanina) decorre dos níveis aumentados de estrogênio e progesterona. Os mamilos, axilas, aréolas, genitálias, períneo, ânus, parte interna das coxas e pescoço e, a mais comum, linha média abdominal (também chamada de linha nigra) podem escurecer. No caso dos mamilos e linha nigra, principalmente após o parto. Além disso, cicatrizes, nevos e lentigos também podem sofrer escurecimento.

Entretanto, manchas em áreas não fisiológicas podem ocorrer, principalmente no rosto, sendo chamadas de cloasma ou melasma, atingindo proporções entre 50% e 75% das gestantes. Elas, geralmente, aparecem a partir do fim do terceiro trimestre de gestação. 

gravidez manchasFiltro solar é essencial na prevenção

O estímulo hormonal, por si só, é uma causa para maior ativação melanocítica e hiperpigmentação. Entretanto, a exposição à radiação ultravioleta é um fator agravante, que pode intensificar o problema!

O primeiro passo para prevenção e tratamento é aplicar filtro solar – preferencialmente os físicos -, no mínimo, duas vezes ao dia, afim de diminuir os efeitos danosos da radiação na pele. Associadamente, exposição ao sol entre 10h e 16h também deve ser evitada. Dadas essas dicas, o mais importante é procurar um dermatologista para entender qual o melhor tratamento para suavizar o problema. 

Caso ocorra a formação das manchas, mesmo com uso adequado dos protetores solares, existem cremes clareadores que podem ajudar a reverter o problema: no entanto, CUIDADO – a maioria é contraindicada no período gestacional e durante a amamentação.

Isso ocorre porque não existem estudos a cerca da eliminação de tais produtos através do leite, a partir da absorção após aplicação na pele. Portanto, não inicie qualquer tratamento sem consultar um especialista. Após a amamentação, peelings superficiais e lasers podem se tornar opções, de acordo com a orientação do especialista.

Concluindo: é sempre necessário um diagnóstico adequado para qualquer mancha que apareça durante a gestação, para que o tratamento mais eficaz e seguro seja instituído para cada momento desse processo de gestação e lactação. O dermatologista também é seu aliado durante esse momento tão especial!

Sem comentários

Postar um comentário

WhatsApp chat